Registros da Virada Cultural

No geral a Virada Cultural foi muito boa, claro que como todo primeiro evento ainda tem que aperfeiçoar alguns detalhes. Mas o que importa é valorizar os nossos artistas e isso foi feito. Pode não ter contemplado todos os artistas, mas nem sempre consegue abranger todos.

Como sugestão para a próxima virada os eventos para crianças deveriam ser marcados em horário menos quente ou que tivesse uma cobertura.  Na praça da estação também precisa pensar em colocar algo pra sombra, talvez balões que podem ser de patrocinadores. Não tem como ficar tantas horas no sol sem ter onde amenizar o calor. Os eventos no horário mais quente ficam mais vazios. Também tentar agrupar grupos com mais renome com outros menos conhecidos. Vi eventos com muito pouco público. Será que precisa ter em tantos espaços assim? Fica aí uma boa questão. Vamos pensar juntos.

Consegui assistir ao show de Dóris Samba, Giramundo debaixo de sol muito quente na praça da Savassi, Quarteirão do Soul na praça da Liberdade e na praça da estação Bloco Bainas Ozadas, Bloco Rei, Bloco Moreré, Demônios da Garoa e Vesperata de Diamantina.

Do que vi um deles me chamou muita atenção e poderia ser feito em outros locais da cidade. A pintura feita no espaço que vai pra estação de metrô da praça da estação ficou lindo. As cores deram vida ao lugar que antes era sombrio e com sensação de descaso.

Veja as fotos de alguns eventos e vídeos abaixo.

Museu da Língua Portuguesa, Pinacoteca, Vila Madalena e Mercado Municipal

Ao chegar em São Paulo fomos recepcionadas pela Mary, minha querida e especial prima, que nos proporcionou vários passeios durante nossa folga da Feira Preta, durante todo o final semana.

Estivemos no Museu da Língua Portuguesa, onde a exposição era um mergulho na literatura de Fernando Pessoa com seus numerosos heterônimos, entre eles Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis, e várias personalidades literárias. Além dos poemas, escreveu contos, ensaios e críticas literárias para diversas publicações portuguesas.

O Museu fica na Estação da Luz, uma construção lindíssima, e é dedicado à valorização e difusão do nosso idioma (patrimônio imaterial), apresenta uma forma expositiva diferenciada das demais instituições museológicas do país e do mundo, usando tecnologia de ponta e recursos interativos para a apresentação de seus conteúdos.

Estivemos também na Pinacoteca, onde uma das exposiçoes era “O Lado de Lá, Angola, Congo e Benin” de Ricardo Teles. Também com várias obras de artistas renomados.

O passeio na Vila Madalena e no Mercado Municipal fechou com chave de ouro nossa ida a São Paulo.

Um banho de cultura sempre faz bem a alma.

Assista um pouco da exposição e veja as fotos:

Vila Madalena e Mercado

Museu da Língua Portuguesa – Fernando Pessoa

Pinacoteca