Carnaval Rio de Janeiro 2012

Passei meu carnaval no Rio de Janeiro, junto com a Dóris, Edinho, Cristina, Tomas, Elisa, Maria Regina, Luiz e Clara. Fomos recepcionados pelo Alexandre e Antônio e reecontrei com Amarildo, Rose e Dona Roseli.

Na sexta-feira eu e Dóris fomos ao Carioca da Gema assistir ao show de Teresa Cristina, muito bom. Pra completar Teresa Cristina com sua simplicidade e simpatia convidou Dóris pra dar uma palhinha. Foi lindo!!!

No sábado fomos ao Centro Cultural Cartola, a convite da Nilcemar, que estava trabalhando entregando fantasias. Participamos da feijoada e Dóris cantou e encantou lá também. No final da tarde fomos para o apto do Alexandre onde encontramos todos. Foi mágico!!! Dóris começou a cantar  e todo mundo entrou no clima. Virou um carnaval. Com certeza o melhor dia.

No Domingo, caminhada e praia pela manhã e a tarde voltamos a copacabana no apto do Alexandre onde colocamos a conversa em dia, depois fomos todos ver o bloco do choppinho. O que me impressiona no Rio é que em todos os blocos toca-se marchinhas de carnaval e crianças e adultos fantasiados com o astral de carnaval. Logo após o bloco Dóris e eu esticamos para a Lapa para encontrarmos com nosso amigo Breno (jornalista de BH que mora no Rio). Ao chegar a Lapa vimos um show rolando e pra nossa surpresa era o Pedro Miranda, artista que ja esteve em BH e conhecemos seu trabalho. Tmabém ouvios Orquestra Republicana com Eduardo Galoti, Pedro Holanda e outros e como convidado Moacyr Luz. Após o show como ninguém é de ferro fomos jantar para repor as energias.

Na Segunda-feira pela manhã caminhada na praia e massagem. O vida boa!!! Depois fomos pra Copacabana e encontramos nossos amigos. Mais cervejinha, bate papo e muito riso. Perto do Edinho e da Maria Regina não tem como ficar sem rir. No início da noite esticamos novamente pra Lapa para assistir ao shows do Tempero Carioca, muito bom, do Rio Maracatu, sensacional e Banda do Boi Tatá que convidou Luiza Dionizio.

Na Terça-feira mais uma caminhada na praia e arrumação de malas. Agradecimentos a Rosa que nos recebeu com muito carinho.

Valeu Rio de Janeiro. Feliz demais!!!!

Veja as fotos e assista alguns shows da Lapa:

Rock in Rio 2011- Eu fui

Posso dizer com muita propriedade, que este foi um dos melhores programas que fiz nos últimos anos. No dia 01/10/2011, saí de BH às 14hs do sábado, em um vôo para o Rio com meus amigos Pedro e Renato. Chegamos ao aeroporto e logo procuramos onde ficava o ônibus para ir pro Rock in Rio. Quando vimos a fila de pessoas resolvemos pegar um taxi até o local mais próximo que ele pudesse nos deixar, pois sabíamos que era proibido chegar de carro até o Rock in Rio. Ao descer do taxi percebemos que os ônibus não estavam parando para pegar passageiros ao longo da avenida.

Como todo brasileiro e também carioca tem sempre um jeitinho, ouvimos um anúncio de uma água de côco e uma oferta de transporte com o dono da barraca. A princípio ficamos com certa prudência, logo em seguida conhecemos André, o dono da barraca. Uma morador com estilo hippie anos 70, todo tatuado e emanando aquela paz foi nos conquistando e assim aceitamos a oferta. Ele nos levou praticamente dentro do Rock in Rio passando por dentro da comunidade próxima onde morava. Não acreditamos no que havia acontecido. Em poucos minutos estavamos dentro do Rock in Rio sem pegar sol, fila ou ônibus. Sensacional! Nesse momento disse ao Pedro, tinha certeza que ia dar tudo certo, pois viajei pra ser FELIZ! Depois de tanto trabalho me permiti esquecer tudo e todos e me concentrei naquele momento único.

Ao entrarmos no Rock in Rio fomos logo as compras, depois fomos a Rock Street conhecer, passando pelas várias atrações até chegarmos ao palco eletrônico.  O sol ainda estava quente e fazia muito calor, quando resolvemos comprar 5 energéticos, como éramos 3 pessoas deu pra resolver a cede e iniciar o processo de não deixar a energia cair. Dali fomos para o palco Sunset ouvir Zeca Baleiro e descansar um pouco.

As 19 horas em ponto iniciou o show do palco principal com Frejat. A banda com uma elegância surpreendente fez um show maravilhoso. Ficamos emocionados.

Logo após veio Skank com Samuel Rosa fazendo o Rock in Rio tremer. O público respondeu ao chamado de Samuel para balançar camisas e bandeiras, foi maravilhoso. Além disso Samuel Rosa fez questão de levar uma câmera e filmar a plateia que esteve fantástica.

Em seguida os mexicanos do Maná trouxeram a essência da música latina ao Rock in Rio, com algumas músicas que fizeram parte de diversas trilhas sonoras de novelas.

A penúltima apresentação foi da banda Marron 5. O cantor me lembrou muito o Cazuza. Gostei da apresentação mesmo sem conhecer nada da banda.

O show da banda inglesa Coldplay encerrou com chave de ouro a noite, misturando sucessos antigos com músicas do próximo CD “Mylo Xyloto”. Chris Martin ainda homenageou o Rio de Janeiro ao escrever RIO na lateral do Palco Mundo. Ouvir 100 mil pessoas cantar Viva la Vida, Fix You e uma pequena homenagem a Amy com a introdução de Rehab foi algo inexplicável. A emoção vai tomando conta, os pelos do corpo todo vão se levantando como se fossem orquestrados pela platéia. Uma sensação de bem estar, de que Deus existe e aquele momento é a manifestação mais pura de sua existência. Um coro único de 100 mil vozes ecoando um sentimento de paz e alegria. Este talvez tenha sido o grande legado desse evento. Mostrar que em pleno século 21 ainda é capaz de reunir pessoas com um sentimento único de alegria e paz. Parecia que estavamos em woodstock.

Terminou o show por volta de 2h38 da manhã, deitamos na grama para descansar o corpo e os pés que já não estavam mais suportando a dor. Aguardamos até as 03h30 para esperar a saida da maioria das pessoas. Caminhamos até chegar próximo a portaria que dava passagem para pegar o ônibus para o terminal Alvorada, só que não tinhamos o Rio Card, tivemos que comprar. Achei que ia ser uma confusão, mas foi a coisa mais surreal que vi, havia algumas filas e entramos em uma delas, ao parar o ônibus um dos rapazes pergunta se quero ir sentada ou em pé. Nunca imaginei que isso pudesse acontecer. Fiquei impressionada com tanta organização, fomos sentados ate o terminal e la pegamos outro ônibus que atravessou a cidade passando pelo aeroporto Santos Dumont e depois nos deixando no Galeão as 6 horas da manhã. Aguardamos até as 10 horas pra peagar nosso vôo de volta a BH.

Fiz esse registro em detalhes para que eu possa voltar a esse momento mágico de minha vida. Fica também meu agradecimento aos amigos e parceiros Pedro e Renato. VALEU!!!