É Com Esse Que Eu Vou

A impressão que fica após assistirmos às duas horas de samba (90 mais precisamente), com intervalo de 15 minutos, do musical “É COM ESSE QUE VOU”, nesse sábado no Teatro OI Casagrande, no Leblon é que esse espetáculo musical vai fazer história no Brasil e no exterior.

Baseado numa pesquisa de Rosa Maria Araújo e Sérgio Cabral, com direção musical de Luís Filipe da Lima, o musical apresenta os grandes sambas “de rua e de salão” dos anos 30, 40, 50 e 60 do Rio de Janeiro.

“Foi a partir de 1932 que a prefeitura do Distrito Federal (então Rio de Janeiro) decidiu premiar, até o final da década de 1960, os melhores sambas e as melhares marchas do carnaval”, explica o texto de apresentação do espetáculo e prossegue:
“Sobre as marchinhas fizemos o espetáculo “Sassaricando”, uma ode a um gênero musical que permanece no coração e na alma dos brasileiros. Agora, o carnaval se completa com os sambas nascidos nos morros e na cidade e popularizados nas vozes inesquecíveis de Francisco Alves, Carmem Miranda, Linda e Dircinha Batista, Orlando Silva, Jamelão e dos intérpretes jovens de hoje que permanecem fieis aos sambas e às marchas.

Neste espetáculo, os sambas de carnaval transormam-se numa revista teatral.

A peça reestréia no dia 25 de Novembro, no Teatro João Caetano (RJ). Recomendo!

Após o teatro esticamos para o La Fiorentina com Makley Matos que atua na peça com mais seis atores/atrizes. Lá nos encontramos com Marcos Sacramento e Pratinha (maestro) também do espetáculo. Uma boa conversa para finalizar a noite.

Fizemos novas amizades com Simone Franco e Alessandra (Sem Fronteiras).

Valeu demais!!!