Grupo Vivavós de Salvador encantou Belo Horizonte com a Rodovia do Samba

Nos dias 12, 13 e 14 de julho o grupo Vivavós de Salvador, coordenado pela Mazé, esteve em BH fazendo várias apresentações do Espetáculo Musical Rodovia do Samba. Criado em 2004, o Grupo Vivavós é formado por 30 pessoas com faixa etária entre 50 e 80 anos, que gostam de cantar, dançar e atuar, como uma forma de atividade que eleva a auto-estima, traz mais conhecimentos, integra e estimula o relacionamento interpessoal. São 29 mulheres e 01 homem (avôs, avós e tias-avós), experimentando a realização do sonho de “estar no palco” atuando, cantando ou dançando.

Rodovia do samba é um espetáculo que engloba teatro, música e dança, fazendo através do samba uma viagem de São Paulo à Bahia, passando pelo Rio de Janeiro e Minas Gerais, mostrando com muito humor, poesia e descontração os diferentes estilos deste que é o mais brasileiro dos ritmos. Revela ao público composições de ontem e de hoje, feitas por grandes compositores brasileiros, que escreveram os mais belos sambas da Música Popular Brasileira, engrandecendo o cenário musical.

O grupo que veio a BH era composto por Áurea Braga, Avany Pereira, Carmem Anunciação, Celidalva Brito, Cerise Souza, Delza Santos, Edelvira Barroso, Elza Cordeiro, Hildete Barreto, Iracema Barreto, Lourdes Maria, Lygia Lima, Graça Nascimento, Mazé, Nilza Santos, Marlene Álvares, Marlinda Santana e os músicos Osmar Santiago, Cacau Santos.

Com a participação especial da sambista Dóris, elas apresentaram no Centro Cultural Vila Fátima, Regional Pampulha (Iate Tênis Clube), Cartola Bar, Visita ao Bar Opçao e Centro Cultural Alto Vera cruz.

Veja as fotos.

Caminhada do Samba em Salvador

Salvador celebrou no dia 28/11 o Dia Nacional do Samba, que é comemorado em 2 de dezembro, com uma caminhada reunindo trios elétricos e grandes artistas. Trata-se de uma promoção conjunta da Prefeitura Municipal, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur), e da União de Entidades de Samba da Bahia (Unesamba). O evento teve início às 14h, no Campo Grande e encerrou às 20h, na Praça Castro Alves.

Com Vadinho, Nélson Rufino, Batifun,  Gal do Beco, dentre outros. Também estava presente Vovô do Ilê Aiyê, Jorge Washington (Ator do Bando de Teatro Olodum e Ó, Pai, Ó), Roberto Mendes, compositor baiano que tem muitas de suas músicas gravadas por Maria Bethânia e vários outros.

A caminhada contou com a participação de todas às entidades envolvidas na União: Alvorada, Alerta Geral, Pagode Total, Proibido Proibir, Reduto do Samba, Não Deixe o Samba Acabar e do bloco convidado, Amor e Paixão.

Homenagem – O Dia Nacional do Samba surgiu como uma homenagem ao compositor carioca Ary Barroso na data em que ele conheceu Salvador, cidade que, mesmo antes da primeira visita, já era cantada por ele em sucessos, como “Na Baixa do Sapateiro”. A data acabou se tornando nacional, uma vez que o samba é um dos ritmos mais populares do país e atualmente consegue congregar todas as camadas da sociedade. No início deste século, o samba foi tombado como Obra-prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Assista os vídeos e veja as fotos do Bloco Alvorada e do Bloco Amor e Paixão