7° Festejo do Tambor Mineiro

A comemoração, idealizada pelo multiartista Maurício Tizumba, é promovida anualmente desde 2003, e visa a valorização e divulgação da cultura afro-mineira e do Congado de Minas Gerais. A atração espalha alegria pelas ruas e envolve a plateia que, em 2008, reuniu mais de 10 mil pessoas, público esperado para 2009. O cortejo reverencia a cultura africana, celebrando o resgate da identidade cultural negra.

A festa também representa o culto religioso à Nossa Senhora do Rosário, santa de devoção dos negros. Segundo Pedrina Lourdes dos Santos, capitã da Guarda Nossa Senhora das Mercês de Oliveira, “a Santa aceitou os negros como eles são. Com muita fé, cantamos e dançamos para cultuar e reverenciar a divindade”. Para divulgar as raízes e cultura negras, o Festejo agrega valores e busca a aproximação do público por meio da celebração e da espiritualidade. Com essa mistura de culturas, que agrega negros, brancos, mulatos, ricos e pobres, a diversidade se tornou uma das marcas do projeto, que já conquistou os belo-horizontinos.

No congado, manifestação cultural e religiosa de origem africana presente em todas as regiões de Minas Gerais, a festa realiza a coroação do rei Congo, acompanhado de um cortejo compassado, levantamento de mastros e muita música. Os instrumentos musicais mais utilizados são as caixas de congado, os patangomes e as gungas.

Assista um pouco da festa de 16 de agosto: